Burra

Meu relacionamento com a minha própria inteligente é estranho. Ele varia. Às vezes eu acho que sou inteligentíssima, e às vezes que sou a pessoa mais burra da face da Terra. Como hoje.

Hoje eu me sinto uma idiota.

Idiota, idiota, idiota, idiota, idiota. Só de escrever como me sinto sinto nojo de mim mesma. O problema de melhorar é que, quando você tem alguma recaída, parece o fim do mundo. Você já esqueceu as estratégias que têm pra se sentir melhor, e o resultado é você entrar em desespero e não saber o que fazer.

Parabéns, essa sou eu agora. Vejam o ácido escorrendo pela minha boca. A bile. O nada. Sei lá. Queria que batessem com uma pá na minha cabeça e depois me enterrassem. Me pergunto por que o corretor teima em corrigir palavras certas. Faz eu me sentir burra também. Merda.

Não aconteceu nada demais, antes que alguém pergunte. Eu estou sendo o pedaço de drama que sou, como sempre. Sei que estou fazendo drama, pelo menos. Só não sei controlar os meus sentimentos. Não lembro mais como eu fazia, ou se só sofria desse jeito.

Enfim. Faculdade nova. Minha segunda, me formei na primeira ano passado (peguei o diploma hoje, por sinal. Coincidências). É outra faculdade de línguas, como a primeira. E eu já estudo a língua dessa faculdade há 3 anos, o que me coloca a frente das pessoas da minha sala. Ou, pelo menos, deveria colocar.

Eu não aguento mais errar bobagens na frente da sala. Se eu penso depois, fica tudo muito claro. Mas quando a professora fala comigo e pede pra eu responder algo na frente da sala, parece que meu QI despenca. Às vezes ela fala de partes que eu sempre tive dúvida, e eu cometo erros idiotas. Ela espera muito de mim por eu já saber, e eu sei disso, então sempre que erro algo sinto que ela está decepcionada comigo; que eu sou uma decepção.

É uma sensação horrível. Eu detesto me sentir burra. Eu odeio ter que falar na frente das pessoas. Odeio. E odeio ser burra na frente dos outros. Estou me sentindo uma idiota. Estou tentando montar um clube de remoto jogo japonês no estado onde moro, e hoje também fiquei para ensiná-lo para alguns novatos. Mais desastres— Eu sinceramente não sei como eu termino líder das coisas.

Eu mal tinha começado a explicar quando comecei a sentir o sangue subir pro meu rosto. Eu tenho a habilidade incrível de saber quando estou vermelha, e eu sabia que estava ficando. Comecei a trocar palavras e afins, também. Idiota. Tentei fazer piadas pra relaxar. Todas piadas idiotas. Eu sou uma idiota.

Idiota. Idiota, idiota, idiota.

Errar coisa na frente dos outros… Me dá vontade de gritar. Minha psicóloga estaria decepcionada, dizendo que é normal, que todos estão ali pra aprender, etc, etc. Mas eu sou desesperada. Sempre fui. Sempre. Eu sou aquele tipo de pessoa que ficava triste por não tirar dez em tudo. Meio foda-se se não tirasse, mas sempre decepcionada comigo mesma.

Sempre que não consigo acertar algo de primeira, eu me desespero. É péssimo. Talvez eu ache que eu sou inteligente, e fico decepcionada comigo mesma sempre que faço alguma besteira que faça eu duvidar dessa inteligência. Ou coisa assim.

Cansei de digitar já. Não tô com vontade de fazer nada. Tô com sono, fome e me sentindo humilhada e burra. Bem patético. Amanhã vou estar me sentindo melhor (supõe-se) e pensando que tudo isso foi uma bobagem. Há umas três semanas errei coisa na sala e fiquei nervosa do mesmo jeito… Mas da outra vez foi menos pior. Dessa vez foi realmente estúpido.

Que idiota. Esse texto nem tem uma conclusão.

Fica o desabafo.